Pesquisar neste blogue

domingo, 21 de maio de 2017

Trinta anos

E a traição
Á trinta anos pisei meus pés nesta terra Cuiabá,
Á trinta anos imaginei que a felicidade fosse possível,
À trinta anos fiquei sem carreira, sem família, sem amizades,




Por imaginar que o amor pudesse existir,
Mas era mentira, tudo mentira,
Era apenas um desequilibrado, psicopata
que sente prazer em conquistar e quando consegue,
não há mais interesse algum,
E sem nenhum remorso destrói a vida da companheira,
E segue impune seu caminho,
Deixando pra traz o rastro da destruição,
destruiu minha vida por um capricho,
Se apoiou e me derrubou,
Ainda catando os cacos,
Hoje a ansiedade, o medo fazem parte de minha rotina,
A sensação que tudo possa se repetir,
Faz com me afaste de tudo e de todos,
Quero ficar quietinha em meu canto,
Sem chamar atenção de ninguém,
No meu sentimento ninguém mais é sincero,
Tudo são jogos de interesses,
E nunca mais quero fazer parte disso
É terrível a solidão,
Mas imaginar que tudo possa ocorrer outra vez,
Faz meu ser ficar feliz,
Basta ter saúde, sossego,
O resto é ilusão,
21 de maio 1987, e estava entrando nessa cidade,
onde hoje sou prisioneira das circunstancias,
Se pudesse ter um vislumbre,
do que seria minha vida aqui,
De bom grado teria largado marido
e ficado quietinha em minha terra,
Hoje é preciso viver do jeito que dá...

sexta-feira, 5 de maio de 2017

Detonada

Não adianta cortar
Estão tentando acabar comigo, de vítima estão me tornando , corre de cá e de lá e vira o jogo, os invasores é que estão certos.





Raízes de Figueira

Minha casa com danos que são negados, mesmo diante das evidencias as pessoas ficam cegas, defensor




dando razão ao requerido, desacreditando em minha palavra, verificar se há mesmo uma raiz invadindo meu imóvel, e nega sem entrar no local, não há uma raiz, há um monte delas por toda parte, no piso da varanda, por baixo da garagem, por baixo do muro, piso da banheiro levantado, telhado virou um lixão.

Folhas no telhado
E agora, confiar no imponderável e deixar tudo como está, assim não corro risco de errar, apenas continuo no prejuízo



que já faz bastante tempo, mais um pouquinho, sem desistir da luta, apenas procurando novos rumos.

quinta-feira, 4 de maio de 2017

Fuga

Fugir de um mundo cheio de pessoas superficiais que só conseguem enxergar a vida de modo limitado, buscar a paz, que não é encontrada nesta humanidade alienada, prisioneira de bens, uns querendo ser mais que outros, quando tudo é tão simples, as energias estão ai para quem quiser e for digno de possuí-las, prefiro estar em meu mundo onde possa buscar o conhecimento que vislumbro apenas, só as almas sensíveis tem essa capacidade.

Ser estranha em um mundo de horrores, enxergar da maneira que não enxergam, sentir as vibrações universais e fazer parte delas, embora difícil a tarefa não é impossível

segunda-feira, 10 de abril de 2017

Assédio

Impor respeito
Temos ouvido falar demais em assédio nesses últimos dias, penso que é assediado quem permite e depois quando não mais interessa, resolve fazer alarde e a manada vai atrás.

Já sou uma pessoa madura e passei por vários tipos de assédio, foram chefes, colegas de trabalho, pessoas próximas, namorado de amiga, marido de amiga, familiares, transporte público, enfim por ai,  até tentativa de estupro.  

Nuca tive necessidade de expor a mim nem ao assediador, parava na hora, um gesto, um olhar, uma fala, uma atitude e pronto.

No caso da tentativa de estupro que foi dentro de meu lar e eu sozinha, senti a força da dominação de um homem ao qual fiquei impotente, mas não desisti e lutei, esperneei, gritei, ao final pedi ajuda ao cachorro que subiu na cama achando que era brincadeira, pois a pessoa frequentava a casa, era amigo, falei ao cão Tigre me ajuda, ao que acabei desencorajando o agressor que disse, não precisa pedir pra Tigre e saiu, passei a trancar o portão e no dia que essa pessoa voltou a me visitar e se deparou com a situação, depois disso não mais o deixei adentrar meu lar, perdeu a minha confiança; veio para pedir perdão ao qual não aceitei, cortei relações, passados uns 10 anos apareceu, tinha achado seu rumo na vida, um homem de bem, lembrou o fato e elogiou minha atitude, dessa vez não mais saiu da linha.

Quando ainda criança 13 anos de idade já trabalhava e enfrentava o transporte público lotado nas madrugadas indo ao trabalho e ao anoitecer na volta, era tão inocente que demorei a perceber os esfregas, mas quando tomei consciência o que era aquilo, carregava espetado na roupa um alfinetinho de cabeça, no primeiro roçar botava o alfinete para funcionar, espetava o atrevido sem , eu e as companheira de trabalho fazíamos isso e o agressor se afastava na hora sem nenhum alarde, hoje vejo fazendo separação de homens e mulheres no transporte público, quando a solução é tão fácil.

Recente precisei de um prestador de serviço no lar, não era a primeira vez que o convocava e sempre tratei com respeito, um jovem rapaz eficiente em sua profissão, neste sábado ao termino, pouco antes de pagar o serviço notei suas partes intimas eretas expostas, a surpresa foi grande, mas mantive a postura, esperei que acabasse o serviço, fui em sua direção e perguntei o preço, já com o dinheiro na mão, pois sabia o valor e sempre dou uma gorjeta, o que fiz, entreguei-lhe o dinheiro, fez gesto que não tinha troco, disse está certo, seu trabalho merece e tratei de o ir levando pra rua, ao sair todo desconfiado, já na rua eu fechando o portão, disse a ele, fecha sua roupa que está aberta, ele fez a tá, com expressão indescritível, não achei necessário mais nada e vou continuar contratando seus serviços quando necessário, pois não é fácil encontrar profissionais competentes e tenho certeza que vai se portar da maneira correta como sempre fez.

Por muito menos que isso já vi mulheres fazendo escândalos, chamando policia, fazendo propaganda do ocorrido, acabando com a reputação de pessoas de bem.

Somos humanos, com necessidades biológicas inerentes, sujeitos a equívocos mas a atitude do outro, depende também da minha...

sexta-feira, 7 de abril de 2017

Modéstia

Destruídas pelo inimigo
Quem conta tostão, chega ao milhão,
Quem não desperdiça,
Passa por cima da carniça,
Quem vive de acordo com as leis siderais,


Não sucumbe ante adversidade,
Mas faz crescer o olho,
Dos ignorantes e invejosos,
E assim começa a perseguição,
Atrai canalhas e aproveitadores,
Incapazes da prosperidade,
Destroem o que o outro construiu,
Apenas por serem incompetentes
E não suportar a modéstia alheia...

Morta viva

Afastada
O afastamento,
Fez-me tornar morta viva,
Impossível recuperar as perdas,
Então distante, não mais existo,




Virei lenda,
Uma coisa que existiu um dia,
E agora não distribui frutos,
Não tem mais valia,
Família,
Um dia tive uma,
Outro dia outra e mais outra,
Hoje somos nós, eu e eu...

Ansiedade


Sonhos
Sei o que todos vão dizer,
Poucos ou nenhum vão me compreender,
Os anseios de meu coração são legítimos,
Porém a carcaça se encontra cansada,
Quase vencida, tem receio de sucumbir,
O conflito é imenso,
Se der o passo em curso, o que fazer com os frutos,
Se não der, como prosseguir?
Sinto-me dando murros em ponta de facas,
E o resultado em vias de não ter fim,
O ambiente cada vez mais pesado,
Mais deteriorado.
O coração teima e sangra,
Sente-se vencido, mas não há vencedores.
A solução sentida, tem jeito de ser o imponderável,
Pois ela não foi procurada,
Veio espontaneamente,
Enfureceu os inimigos,
Sinto-me ameaçada,
Sendo apenas cumpridora de meus deveres,
Vivendo na completa cadencia da dignidade e caráter reto,
Que labuta sem fim...