Pesquisar neste blogue

segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Triste.

Muito triste
Fico pensando sem entender que lavagem cerebral é essa que fizeram na humanidade, afinal parece que é a humanidade inteira a se esfalfar nessa festança maluca de passagem de ano, numa histeria coletiva, quero entender qual é a satisfação de ver fogos pipocando nos ares, qual o sabor de tanta destruição, o que vejo são as aves dos ares, os animais terrestres e quiça os dos mares num desatino total, enlouquecidos com o barulho enlouquecedor, muitos perdem suas vidas num ataque cardíaco tamanho pavor, sem contar nos recursos queimados que talvez fossem mais úteis em seus lares, quando não são queimados, mutilados por esses horríveis fogos de artifícios.

Eu pobre mortal que sou fico a deriva, pois não sou capaz de compactuar com festas assim destrutivas, meus anseios são os sons da natureza, a paz do silencio que encanta a alma, a contemplação do universo que fascina meus olhos.

A maioria não sabe sequer o sentido do novo ano, apenas um ciclo no universo, coisa corriquera e normal, ainda são tão desligados que esquecem que é horário de verão e o ano inicia-se apenas uma hora após a chamada virada, pobres mortais, tão iludidos, tão teleguiados pela mídia que deve ser teleguiada por algo que desconheço.

E seguem, na comemoração tresloucada, quando no outro dia tudo será da mesma maneira, apenas com os bolsos vazios resultado da louca gastança desmedida.

Mas viva a humanidade teleguiada.

domingo, 30 de dezembro de 2012

Extase

Puro extase
Que paixão é essa que invadiu minha vida,
Que paixão é essa que faz meu coração rejuvenescer,
Que paixão é essa que me faz voltar no tempo,
Que paixão é essa que surgiu em minha vida,



Que paixão é essa que enfeita meus dias,
Que me faz ficar embevecida,
Presença só virtual, mais que normal,
Invade a alma até o extase,
Puro extase,
Sentimento indescritível,
Invade e explode na alma,
Fazendo de meus dias
Um eterno paraiso.

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Vitrolinha Portátil

Bailinhos de garagem
Inicio anos 70 tinha um sonho, possuir um toca discos, sempre amei música, mas a grana curta não oportunizava ter um aparelho desses.

Trabalhando em Lojas Americanas, um grande sonho, onde consegui abandonar a profissão de costureira industrial, que me tumultuava os miolos a ponto de fantasiar ser outra coisa e fazer de minhas fantasias uma verdade absoluta, na minha cabeça.

Trabalhando em empresa multinacional, era a glória, tendo todos os benefícios que uma empresa assim proporciona, um belo dia fizeram um sorteio do seguro de vida e fui premiada com CR$ 480,00, o felicidade, como meu salário era para ajudar a família, que sempre coloquei em primeiro lugar, que amei do fundo do meu coração e tudo fiz para que tivessem o melhor, mas com esse dinheirinho extra consegui comprar minha vitrolinha, tinham duas acessíveis, uma da Philips que era melhor e mais cara e outra da Delta mais em conta, fiquei com a Delta e assim pude comprar um LP vinil do Bee gees e ainda sobrar um dinheirinho para ajudar em casa.

Grandes emoções ela me proporcionou, muitos bailinhos nas garagens dos amigos e em minha própria garagem e casa, muitos anos ela nos acompanhou, eu e minha turma, ia pelas ruas encontrava meu grande amor por acaso e o levava para bailar em casa, armava o bailinho na hora, o felicidade, o sonho, fui comprando mais alguns discos e minha vitrolinha nunca falhou, os bailinhos sempre um sucesso.

Com a chegada dos sobrinhos continuou fazendo sucesso era tudo bem divertido, a garotada e a vitrolinha, uma vez um dos sobrinhos sentou no prato de tocar discos e quebrou a pobre, berrei com ele que ficou com os olhos piscando duro de medo, mesmo assim falou: ta doida, mas em seguida o abracei e disse que não teria importância que iria consertar, então o danado voltou a sentar, ele queria simplesmente rodar no prato como se fosse um disco.

Passado todo esse tempo e a primeira sobrinha me fez lembrar essa vitrolinha que por muito tempo acompanhou minha vida, e quis saber seu paradeiro, diz ter saudade das musicas que nela ouviu na época, bons tempos, belos dias, isso mesmo, Roberto Carlos e suas canções.

A vitrolinha acompanhou meus dias então sem o prato, conectei nela meu aparelho de ouvir musicas com fone de ouvido e funcionava como caixa de som, até que meus cães herdados fizeram farofa dela, puxaram os fios de todos os modos até destruição total e assim chegou seu fim.

sábado, 8 de dezembro de 2012

Embate

Um
Dois seres se encontram
e se tornam um,
Como se fossem essência única,
Unem suas vidas, ganham asas

 
Dois em um
E se transportam a outro mundo,
Mas era mentira,
Tudo mentira,
O sonho se transformou em pesadelo,
Uma vida se desintegrou,
Enquanto um subiu,
Com o apoio do outro,
Que já estava lá,
Após a subida,

No abismo jogou o outro,



Que quase sucumbiu,

Usando de todas as energias
Possíveis e impossíveis,
Se manteve erguida,
Sua essência não perdeu,
Mas os cacos voaram,
Sumiram peças do quebra cabeças,
Onde foram parar,
Não se sabe,
Numa vontade férrea,
Vem fazendo a subida,
Os obstáculos, um a um transpondo
Mas a vida foi roubada,
Os sonhos desfeitos,
A carreira interrompida,
A família perdida,
Agora só e só busca seu lugar destruído,
Chegará,
Com alguns remendos,
E a consciência intacta.
Há elementos para derrubar o outro,
Mas como destruir sua cria?
Que precisou de muletas,literalmente,
Bem próximo está do dia do embate,
Ele chegará,
Com certeza...

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Poeira cósmica


Ser
Me fizeram ser carne,
Me fizeram ser gente,
Me fizeram com sentimentos profundos,
Das entranhas captaram o DNA
De antigos ancestrais,
E assim me tornaram carne, gente,
Busco nas profundezas do ser,
Para que ser,
Ser carne, ser gente,
Ser bebe, criança, jovem, adulto,
Transgredir, iludir, servir,

Crescer e morrer,
Ser belo, ser velho,
E partir,
Para integrar a natureza,
Feito poeira cósmica,
Se tornar parte do todo,
Ficar no ar, no vento, na chuva, 
No mar,
Na atmosfera bela,
Quiça um dia
Tudo se entrelace,
Tudo se misture,
E num assombroso milagre,
Se torne gente,
Novamente...

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Canto do encanto


Canto do encanto
Longos dias fugidios,
Tudo pairando no ar,
Como se nunca chegar,
Espera desnorteante
Sem saber onde pisar,
As idéias vem e vão,

Não encontram solução,
Beija flor a encantar,
Para fascinar a alma
Borboletas a sugar,
Fugir de tal imagem, como?
Abacaxis se materializando,
Hortelã do chá da mesa


Dia a dia
Como deixar tudo isso,
Sidreira para acalmar
e seguir no desespero,
Tendo de esperar...
Mangericão a perfumar,

Cebolinha no aroma,
Coração a trepidar,
Buscar a calma,
Objetivo total...
Em outro quintal,
Será...

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Choro da alma

Unidos
Tentando a calma, do alvoroço da alma,
Tentando entender os reveses dessa existencia,
Sem nada entender, minha alma chora,
Entes queridos, fugidos, distantes,
Assombroso destino que nos persegue,
Tanto fazemos e nada temos,
Tanto tentamos,
Chegamos perto
E tudo escoa pelo vão dos dedos,

No momento,
Tudo que desejo é uma noticia,
Uma noticia que acalme a alma,
Que possa sumir com a solidão,
Solidão da incompreensão,
Da distancia que assola e desola,
Inerte perante os acontecimentos,
Sem saber onde buscar,
alívio da alma
Minha alma chora...

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Missão Cumprida

Jogaram fora
Jogados fora em plena madrugada em minha porta, deixaram um pacote de ração PEDIGRE, quem sabe para desencargo de consciencia, mas quem assim age não tem consciencia alguma, não saiu ainda da selvageria, nem deveria falar assim, pois selvagens na verdade assim não agem, são humanos da pior espécie, de um nível tão inferior que não há qualificação e devem sentir serem os reis do universo, não podem arcar com consequencias que sua cachorra quem sabe na idéia deles bem cuidada, tenha prole e assim deles se desfazem, jogando a situação para quem nada tem a ver com isso.

Recolhidos
Recolhidos,alimentados, cuidados, protegidos da maldade humana, e na luta em busca de adotantes, pessoas de bem que gostem e respeitem animais, enfim Posse Responsável, depois de grande trabalho de divulgação nos meios digitais e boca a boca, um a um foram sendo entregues, e o coração ficando partido a cada despedida e implorando ao universo que tenham um bom destino, que não sejam novamente descartados de maneira tão vil.

Após uma partida
No dia da primeira partida brinquei demais com os tres e entre eles para que tivessem uma primeira infancia agradável, muito brincaram o o coração dilacerava ao saber que um partiria nesse dia, porém pela experiencia vivida mais de vinte anos com grande quantidade de animais, sei que quando adultos tudo muda e a defesa de território os tornam inimigos, então coragem para fazer o que tem que ser feito.

Derradeira despedida
E assim ficou este gracioso filhote para meu desespero, pois o coração ja não mais aguentava a partida, foram duas semanas e o coração imundou de amor, mas quiz o destino que também este partisse, mas problema que ficou proximo e assim é ainda mais difícil, meu receio que o veja sem cuidados e traga de volta, o que não pode jamais acontecer, pois a experiencia anterior sugou todas minha forças e ja não posso mais sequer estar perto deles, o amor e grande demais e a partida me destroi a alma, suplicando ao universo que tudo de certo, depois desta noite de pesadelos com esta criaturinha o coração clama aos ceus que a proteja, e assim os destinos se cumpram da melhor maneira possível.

domingo, 4 de novembro de 2012

Abandono

Na madrugada
Mais uma vez ouço choramingos na madrugada e me deparo com uma caixa e tres filhotes com um pacote de ração Pedigre em meu portão, esqueceram de deixar agua, ao lhes oferecer agua, acabaram em segundos com o pote, mortos de sede.

Indivíduos que assim agem, não são gente ainda, estão na barbarie e se sentem humanos, quando na verdade são monstros.
 
São dois machos e uma femea,lindos, se alguem que tenha amor no coração, goste de animais, esteja disposto a ter a guarda responsável e queira ter um amigo de verdade entre em contato.

Estarei doando, que não tenho mais condições psicológicas e mentais para cuidar deles, ja foram largados outrora em minha cia vários que assumi a eles e a prole até o fim de seus dias e foi um desgaste total, não tenho estrutura emocional de ver sua partida, uma vez que suas vidinhas são bem breves.
 

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Vivas

Não
Vi pessoas vivas,
Que não estão vivendo,
Espectros de vida,
Vagueiam, levadas por outras,
96 anos, 93 anos,
A última diz estar cansada, quer partir,
Mas fazer o que,
Se não a querem levar?
Se diz cansada, sentindo-se mal,
Mal consegue andar,
Não consegue tomar agua direito,
Só aos golinhos,
Bem aparentada,
Dócil, meiga mesmo,
Diz querer se internar em um asilo,
Fico pensando,
Se seus familiares a tratassem com respeito,
No seu momento delicado,
Talvéz a vida fosse melhor,
Provável que os tratou de maneira adequada,
Agora que ja não tem toda autonomia,
Deixada em qualquer canto como se fosse estorvo,
Mundo cruel,
Não entendo o significado disto,
Como se chama isso,
Renovação da vida?
Vai um para vir o outro?
Por que tem que ser assim cruel,
Chegou vai ter que definhar,
Até a hora da crucial despedida.
Da vida...

sábado, 13 de outubro de 2012

Fogos

Queridos
Fogos, fogos e mais fogos, pipocam nos ares, arrebentando os ouvidos de toda a  criação, humanos insensíveis parecem gostar de tal balburdia, em qualquer festa fogos, fogos e mais fogos, que beleza podem ver nessa destruição dos tímpanos, dos valores, quem sabe bem mais útil em seus lares.

Em pranto, impossível  conter a lágrimas, eu que convivi com mais de vinte animais, prole de tres comprados e abandonados em minha companhia, por vinte anos fomos eu e eles, abdiquei de tudo em função deles, assisti a cada um até seu instante final, sem medir esforços para prolongar seus dias, medo tinha de partir primeiro e deixa-los abandonados, uivavam quando eu saia que não fosse a trabalho, eles sabiam, essa convivência com eles me fez conhecer o amago de um cão, por isso sofro terrivelmente ao vê-los maltratados, abandonados, famintos pelas ruas sem nada entender o porque dessa situação, que infelizmente é a triste realidade de nossos dias, e por mais que façamos por eles é tarefa impossível, diante da crueldade que seres humanos  os submetem.
E ainda fogos, fogos e mais fogos, essas criaturinhas ficam enlouquecidas de pavor, desnorteadas pelas ruas, perdem-se de seus lares, aves no céu em debandada, a cada estrondo é o desnorteio que se ve.
Quando o humano de fato será civilizado, com respeito a si e ao próximo, quantas vezes são também destruidos por esse malditos fogos e não aprendem, quiça um dia esse entendimento entre na alma do humano, desumano.

terça-feira, 9 de outubro de 2012

John Lennon

Paz e Amor
O planeta conheceu um gênio, porém não soube reconhecer a dinâmica de uma mente integrada ao cosmo, sua inquietude o transformou num grande da humanidade, juntamente com seus pares, não conseguia ver a imundície desta humanidade, cruel, egoísta, maquiavélica, fechou-se com seu amor num mundo só dele, nem assim escapou da ignorância, da arrogância de um ser que na verdade representa bem a infâmia a que estamos submetidos, não escapou do louco, sem capacidade, sem competência que resolveu tornar-se famoso a custa da vida de alguém que só queria paz e amor.

Falta fazem homens como dessa geração pós-segunda guerra, mas basta olhar a história e perceber que a muito é assim, desde a antiguidade, quem resolve ensinar a verdade acaba crucificado, contemporâneos são obrigados a calar se quiser escapar do inexorável, a grande ignorância dos que não aprendem e nem deixam os livres de mente ensinar.

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Livre

Livre como o vento
Panico, ao perceber que o que temia estava para acontecer, aconteceu ou não aconteceu,
Não sei?
Vi ou foi delírio, não sei,

A perseguição persegue,
Foi tudo perfeito, senti muito bem,
A esperança é grande,
Mas não sei se vi,
Queria não ter visto,
Mas infelizmente vi sim,
Inacreditável, o que virá pela frente,
Senti que diante da multidão o poder daqueles é menor,
Então porque martirizar?
Vamos recomeçar, vida nova daqui pra frente,
O passado é vivo, não será enterrado,
Mas o futuro me aguarda, cheio de espectativas,
Reserva um mundo de novas possibilidade e vou nessa,
Vou fortalecida,
O açoite me calejou,
Cabeça erguida, vida bandida,
Porém  a bandida que não seja atrevida,
A minha educação ja calou a sua valentia,
Então...
Livre como o vento,
Na direção do futuro que me aguarda seguro,
Da tranquilidade a muito almejada,
Agora ao alcance das mãos,
Ja não é distante,
Ja ja será presente,
Um presente iluminado,
Presenteado por mim mesma,
Então o sabor é de vitória,
Vitória,
Vitória...

terça-feira, 2 de outubro de 2012

Fora de órbita

Rumo aos sonhos
Vou indo sem ir a lugar algum, vou sonhando, projetando, planejando e um dia meus projetos se realizam, dei um passo, mas não obtive a resposta, que pena, mas não desistirei, vamos indo devagar, sem parar e um dia nossos objetivos serão alcançados, e ai se tivesse ido já estaria tudo consumado, mas ainda são sonhos e assim são belos, realizados talvez fossem a decepção e ai tudo bem. 

Sem angustia hoje, as coisas se encaminhando, e assim quem sabe um dia o vôo do passaro ferido se realiza, mas enquanto isso também com o coração cheio de alegria pelas benções recebidas do universo e sempre agradecendo e tentando a perfeita sincronia, que no momento pareço um pouco fora de órbita, mas vou entrar nela como sempre estive e meu sucesso será certo, certíssimo, disso tenho a certeza, agradeço a integridade física e peço forças para continuar no caminho certo, com as pessoas e entidades certas, para prosseguir nessa luta que é esta nossa existência neste planeta louco e quando viajar para outros mundos que esteja serena.

Açoite

Açoitados
Mais uma semana sem grandes progressos, mas também sem retrocessos, vamos indo devagar e sempre nesta luta de titãs que tem sido toda minha existência, mas não importa, esse mundo é mesmo de luta então vamos à luta, nada de deixar ninguém aporrinhar a paciência, danem-se todos, faça valer a lei do universo, plantou vai colher e pronto, sem dó nem piedade, que piedade de mim ninguém tem, ao contrário, o que fazem e me bater e bater duro, mas meus frágeis ombros, açoitados, jamais se vergaram e não se vergarão, sempre ereto e pronto, firme nas conquistas, forte nas derrotas, sempre segura de que anda na linha reta, sem fazer mal a ninguém, mas agora vamos nos defender e pensem o que quiser, azar o deles.

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Trilogia analítica

Interessante
Descobrindo um pouco dessa ciencia é bem interessante, mistura metafísica, com parapsicologia e psicanálise, interessante mesmo, vou me aprofundar um pouco nessa ciência que acho que faço parte dela, talvez até sem saber vou seguindo por intuição essas leis universais, intuição e muita observação, que espírito de pesquisadora eu tenho e muito me orgulho disso, é essa curiosidade que me leva ao caminho da verdade e não ficar iludida com falsos profetas que andam por ai, me sinto bem em ser mulher de ciência e não falsa beata como muitas que conheço, sou sim capaz de segurar todas essas barras que enfrento, talvez por isso que sou colocada nessas situações, para que a natureza possa testar meu biotipo e poder colocar mais alguns espécimes desses na superfície deste planeta, que eu devo ter vindo de um lugar mais adiantado que esta terra, não agüento tanta gente merda querendo se mel, coitados.

Hebe

Dama das entrevistas
Hebe, gracinha, voce me deixou tres dias desconcertada com essa peça que pregou, atonita com os acontecimentos, sempre entendi que voce se faria centenária e apronta essa, vai embora, assim quase de repente, mas sei,  quiz partir assim para preservar sua juventude, a beleza que ainda lhe acompanhava, não é fácil mesmo atingir a plenitude da idade e cada dia definhando, quem arquitetou esse projeto de vida e morte devia estar atrapalhado das idéias, criar seres vivos perfeitos, lindos, incríveis, não falo dos humanos e sim de toda criação, o ciclo é o mesmo para todos, nasceu=morreu.

Permanece jovem aquele que cedo parte, pergunto o que será melhor: partir cedo em pleno apogeu da juventude e driblar a natureza permanecendo eternamente jovem, trilhar um longo caminho e chegar ao alvorecer como voce chegou e se retirar de cena ainda intacto, ou aguardar o anoitecer e com ele todo mistério que a escuridão oferece, voce foi esperta e deve estar rindo de todos nós, né gracinha.

Descanse em paz querida Hebe, a paz dos justos que merece.

domingo, 30 de setembro de 2012

Desnorteio

Socorrrooooo
Forças do universo venham em meu socorro, me mostrem o caminho que realmente estou sem direção, perdida nesta terra sem criar raízes, mas amarrada, como pode ser uma coisa destas, me sinto cada dia mais amarrada, presa a situações que vão se embolando e cada vez mais só, na solidão física insuportável de ver quem você carregou no colo lhe dando as costas, lhe tratando como marginal, quando marginal são eles, é a maior falta de respeito que já vi nesta terra, passam por cima de tudo, mas eu confio que não passarão em cima de mim, me deixarão em paz e seguirei meu caminho, bem longe dessas pessoas, não sou menor que eles, nem maior, porém menor nunca, não mereço ser pizada dessa maneira, isto não é vida para mim, me mostrem então o caminho que perdida me encontro, sem rumo, sem saber que direção tomar, minha cabeça pensa, meu coração enlouquece e não obedece, me faz passar mal, e desistir de tudo, mas o que fazer se já não agüento mais esta situação limite em que estou vivendo, pressionada e esmagada de todos os lados, isso é muito cruel, quero que me indiquem que caminho seguir, está tudo difícil demais, estas pessoas a me esmagar, eu já não estou agüentando e sei que eu sozinha nada posso fazer, a não ser me corroer por dentro e isto eu não quero mais, quero me libertar, encontrar o meu caminho, sem deixar pegadas e bem distante, nunca mais ouvir essa vozes, ver esses desaforados, isto é demais para minha pobre alma agüentar, socorroo.


Mas desta vez também vou dar a volta por cima, não adianta ficarem me esmagando ao seu bel prazer, que tudo será da maneira que estão plantando, e estão plantando os meus desesperos, não venham então depois chorar, que estou apenas devolvendo o que de mal me fazem, não estou desejando nada de mal, apenas que se conscientizem de que estão totalmente errados, mas isso vai ser difícil, que encontrar gratidão entre pessoas grosseiras é impossível e não passam disso, uns grossos, podem cursar a faculdade que for que nunca vão passar disso, grossos, vulgares, aproveitadores e vão então colher o que plantam e ponto final.

Vou começar vida nova, não do nada, mas do que plantei e tenho plantado bastante, agora é a hora da colheita, prepare minhas mãos para que tenha forças de colher tudo certinho, não deixe que as ervas daninhas venham me prejudicar, essas eu não plantei, elas tem o canteiro bem distante, leve-os em paz para o caminho deles, que me deixem na santa paz do universo em movimento, onde sou filha legitima e perfeita em sintonia harmoniosa para tudo merecer, este merecimento é da alma e isto sei, só não consigo entender porque não vejo o caminho, o que está acontecendo que não vejo o caminho, qual é o meu caminho?


Quero encontrar o meu caminho, mas está bem difícil, mas eu vou achar, não vou desistir, amanhã vamos mudando alguma coisinha e devagar pegar nossa linha, nosso trilho certo que hoje estou num bonde desgovernado que peguei na contra mão.

Eu vou



Chegar

Tão perto de vencer mais uma etapa de minha vida, tão difícil segurar a ansiedade que explode dentro do peito, são tantos empecilhos durante o trajeto, cada qual mais difícil de transpor, parece que o desanimo começa a querer tomar conta, a luta para que isso não aconteça é grande, mais um pouquinho e um sonho de vida realizado, mas este pouquinho está demorando demais, as agruras quase impossíveis de ultrapassar, mas a luz brilha e me inspira a chegar a ela, a luz é forte, imensa, de um brilho quase insuportável, mas chegarei e vou ficar sob essa luz abundante, que inundará minha vida, que me atrai feito imã, mas a outra força contrária tem atração quase similar, um passo adiante dois atrás, dou uma enganada no destino e avanço, ele tenta me segurar, parece que ainda não entendeu que a força está comigo e assim feito bólide, ao sim ao não de meu coração eu vou, nem que tenha que agarrar a sorte pelo rabo e segura-la fortíssimo eu vou.


terça-feira, 25 de setembro de 2012

Lar

Doce lar
Esta morada se fez de fato de minha família, com a nossa mudança em 24 de setembro de 1954, papai comprou com as economias da família, foi uma luta de titãs, papai trabalhando em dois empregos e mamãe costurando para fora, para o lar, cuidando dos filhos e o melhor que podia para economizar, plantavam abobora, couve, criavam galinhas assim tinham os ovos e com as penas mamãe fez colchão e travesseiro para o bebe que ia nascer.

Nossa mudança foi de grande expectativa, nossa vida familiar de fato se iniciava nesse local, foi incrível, era apenas um quarto e cozinha em um local que acabava de ser loteado, nossa casinha foi a primeira, então a festa da garotada era enorme, a correr pelas redondezas, a fazer descoberta das novidades e eram muitas, havia um córrego a menos de 500 metros, onde hoje é a Av. Luiz Inácio de Anhaia Mello, muitas brincadeiras.

A vida foi andando, as primeiras letras, o primeiro trabalho, o primeiro namorado, o local se desenvolveu absurdamente, em pouco tempo se tornou um promissor bairro.

Por vezes a vida não deixa escolhas e as decisões tomadas nos afastam de tudo que nos era benéfico e nos joga com tudo na adversidade, o que se acenava como o paraíso se tornou o inferno em vida, a solidão e afastamento de tudo que nos é caro, mais uma vez uma luta de titã e sózinha, eu e eu, mas a lembrança dos anos ai passados jamais me deixarão, teve que deixar de ser nossa, infelizmente, após 54 anos de porto seguro para nossa família, não foi mais possível manter, em julho de 2007 foi passada para outro proprietário e desejo que ele possa usufruir de coisas maravilhosas, como nós outrora, nesse lugar que é abençoado.

Casinha do Parque São Lucas, jamais te esquecerei

24 de setembro de 1954 a julho de 2007.

domingo, 16 de setembro de 2012

Vejo coisas

Roubada
Vejo coisas, que se me dissessem ver, outrora sucumbiria,
Vejo, vejo, vejo, não sei o que sinto,
 
Misto de surpresa, decepção, não sei.
Roubada?
Talvez,
Aqueles foram meus,
Hoje é tudo tão estranho
Olho, vejo e não vejo, sinto e não sinto,
Tudo é estranho,
Poderia ser meu, mas não é...
É de outra, são de outras,
Outras gentes, outras coisas,
Mas foram meus um dia,
O que há comigo,
Porque tudo me é roubado
São sensações estranhas,
Será que não mereço,
O que acontece comigo,
Não quero mais que aconteça assim,
Não sou pior que ninguém,
Porque me trocaram?
Tudo fiz e me ferrei,
Todos me trocaram,
Nenhum me quis,
Que coisa,
Que coisa maluca,
Mas é a realidade
É essa e assim tenho que encarar
Não tem outro jeito,
É assim e assim ficará,
Fazer o que...
Azar o deles... 

Agora e sempre

Transe
Nunca imaginei um amor assim ainda em minha vida,
Meu coração pensei estivesse morto,
Tanta dor, tanto desamor,
E agora,
Do outro lado do mundo
Surge um amor assim,
Não importa a distancia,
não importa ele não saber de mim,
Importa que sei dele,
Importa que meu coração se apaixonou pelo dele,



 

Alma gêmea,
Tão distante
Tão perto,
Alegra a alma,
É como se minha juventude estivesse de volta,
A dele também não é mais presente,
Mas meu coração delira ao vê-lo,
Meu coração sente o pulsar do dele,
Naquela época,
Tão distante, tão distante, tão perto,

Tão presente,
É como se estivesse em transe,
Sei que aquilo não mais existe,
Mas a minha juventude também só existe no coração,
Que transcende, vibra como outrora,
Mas agora é agora, eu sei disso,
Mas minha alma adora tudo isso,
Como se tudo fosse real,

Agora e sempre...

domingo, 9 de setembro de 2012

Raça humana

Assassina
Somos todos assassinos
Neste planeta,
Chamamos outras espécies de animais?
Seres humanos...

Quem somos?

Somos desumanos,

Quem já não assassinou...

Uma barata,

Uma formiga,

Um réptil,

Um peixe,

Uma ave,

Um animal enorme,

Um minúsculo,

Um invisível a nossos olhos,

Para se alimentar,

Por pânico,

Por comodidade,

Por necessidade,

Por maldade,

Por divertimento,

Ou simplesmente por inutilidade,

Consciente ou inconsciente,

Porém todos têm direito

Á vida.

Toda vida tem sua complexidade,

Toda vida é um universo perfeito,

Toda espécie protege a sua prole,

Todos têm as suas maneira

De ser, de viver,

Todos têm apenas uma vida,

Única,

E acabou, acabou...

Nunca mais,

Quiçá um dia

O humano encontrará

Um ser maior

Que também o exterminará,

Sem piedade,

Como verme que é

Mas imagina não ser,

Então quem sabe

A raça humana

Assassina,

Possa ter maior compaixão,

Mais respeito,

Menos indiferença,

Pelos diferentes,

Menos intransigência,

Mais consciência,

E possa em fim

Viver no paraíso

Que o criador

Um dia

Idealizou...

Para todos.