Pesquisar neste blogue

domingo, 3 de setembro de 2017

Domingo

Dias vazios, sem alternativa,
Meu ser grita por companhia,
E o que tem é a solidão,
Gira pra cá e pra lá,
Sem solução.
O que tem é a solidão,
Seres vazios, sem evolução,
Minha alma grita não,
Não a devastação,
Não ao desperdício,
Não a alienação,


E vem alucinação,
Em minha mente vagam imagens
da vida sonhada,
Dos amores vividos e perdidos,
De tempos passados na atividade,
E a inércia escravizando meus dias,
A perguntar porque,
O que há de errado com meu ser,
O que há de certo,
Buscando um sonho quase inatingível,
E o amago do ser
Sabendo que a luta vai continuar,
Até esvaziar e a vitória chegar.

Sem comentários:

Enviar um comentário